ELETROENCEFALOGRAMA

Eletroencefalograma (EEG) é um exame que avalia a atividade dos impulsos elétricos do cérebro gerados de forma natural, examinando a normalidade do funcionamento cerebral quanto à intensidade e regularidade dos impulsos emitidos. É um teste rápido, sem contraindicações e que não causa nenhum incômodo. Pode ser feito em pessoas de qualquer faixa etária, de recém-nascidos a idosos, inclusive gestantes, sem nenhuma contraindicação.

Trata-se de um procedimento bastante antigo, criado a partir da descoberta feita pelo alemão Hans Berger, em 1929, de que o cérebro produzia atividade elétrica. Foi após a associação com a informática, nas últimas décadas, que o sistema se popularizou. Nele, os impulsos elétricos são amplificados e registrados em um papel, assim como no eletrocardiograma.

Existem três tipos de EEG, que são diferenciados em razão da complexidade e do objetivo do exame:

Eletroencefalograma clínico

Trata-se do exame convencional, realizado com o objetivo de investigar sintomas como ataques epiléticos, convulsões e outros problemas relativos ao sistema nervoso central.

Eletroencefalograma ocupacional

É assim denominado quando o exame tem fins relativos à saúde do trabalho. É indicado para colaboradores que atuam em funções de risco, como motoristas, trabalhadores em altura e pilotos de avião.

Eletroencefalograma com mapeamento cerebral

Também chamado de quantitativo, é uma versão aprimorada do exame tradicional, que inclui o processamento computadorizado dos sinais elétricos emitidos. Ele possibilita ter uma visão detalhada da atividade cerebral, a partir de um mapa no qual as ondas com amplitudes diferentes são marcadas com diversas cores.